encontra aqui um pouco de tudo...desde a a gastronomia medieval á revolução russa...
publicado por ana | Domingo, 31 Maio , 2009, 14:53

Polícia Internacional e de Defesa do Estado

 

A Polícia Internacional e de Defesa do Estado (PIDE), foi a polícia política portuguesa entre 1945 e 1969.

A PIDE foi criada pelo Decreto-Lei n.º 35 046, de 22 de Outubro de 1945, substituindo a Polícia de Vigilância e Defesa do Estado, de quem herdou a estrutura, métodos e funções.

Apresentada como um "organismo autónomo da Polícia Judiciária", nos moldes da Scotland Yard, a PIDE foi realmente uma polícia política cuja principal função consistiu na repressão de qualquer forma de oposição ao Estado Novo de Oliveira Salazar.

A função da PIDE ia além da de polícia política, sendo igualmente responsável pelo controlo de estrangeiros e fronteiras, pela informação e contra-espionagem, pelo combate ao terrorismo e pela investigação de crimes contra a segurança do estado.

A PIDE exercia actividade em todo o território português no sentido de evitar dissidências nas organizações civis e militares, usando meios e métodos baseados nas técnicas alemãs aplicadas na Gestapo, é considerada por muitos historiadores uma das polícias mais eficientes de sempre. Justificava as suas actividades com o combate ao internacionalismo proletário e comunismo internacional.

Pelo Decreto-Lei n.º 49 401, de 24 de Novembro de 1969, o Governo presidido por Marcello Caetano substituiu a PIDE pela Direcção-Geral de Segurança (DGS), que, por sua vez, foi extinta na sequência da Revolução de 25 de Abril de 1974, pelo Decreto-Lei n.º 171/74, de 25 de Abril.

A PIDE era temida pela utilização da tortura e foi responsável por alguns crimes sangrentos, como o assassinato do militante do Partido Comunista Português (PCP) José Dias Coelho e do General Humberto Delgado. Este último foi atraído para uma emboscada, só possível pela introdução de informadores nas organizações que o general liderava ou na sua teia mais íntima de relações pessoais, ultrapassando mesmo as fronteiras nacionais (não só o crime foi cometido em território espanhol como os informadores se encontravam instalados no Brasil, na França e na Itália).

Durante as guerras coloniais, a polícia política, até aí virtualmente ausente dos territórios africanos, assumiu nos três teatros de operações a função de serviço de informações e, constituindo, enquadrando e dirigindo milícias próprias, compostas por africanos, por vezes desertores das guerrilhas, colaborou com as forças militares no terreno. Neste âmbito, poderá a sua acção ter também ultrapassado as fronteiras; com efeito, são-lhe atribuídas responsabilidades, quer no atentado que vitimou o dirigente da FRELIMO Eduardo Mondlane, quer na manipulação dos descontentes do PAIGC que, num "golpe de Estado" dentro do partido, assassinaram o dirigente independentista Amílcar Cabral.

 

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

 


Este Blog dedica-se à postagem de fotos,artigos e videos que circulam livremente na internet. Qualquer anomalia ou problema de funcionamento e/ou copyright não é da responsabilidade deste Blog, dado que o mesmo se baseia em hiperligações ou links. Eventuais reclamações e outras solicitações deverão ser feitas unica e exclusivamente nas respectivas fontes de origem. Ana Márcia
mais sobre mim
Assuntos tratados no blog

10 de junho da presidência da república

25 de abril

a batalha de aljubarrota

a construção das pirâmides do egipto

a corte portuguesa no brasil

a declaração de guerra da alemanha a por

a dinastia afonsina ou de borgonha

a gastronomia medieval

a morte de d. sebastião

a primeira guerra mundial

a viagem de marco polo

absolutismo

as moedas de d. afonso henriques

bandeira da união europeia

bandeira de portugal

brasil

bula manifestis probatum (doc)

bússola

cabo verde

cadeira acústica

caravela

carta a el-rei d. manuel sobre o achamen

cidade velha de santiago

conceito de história e seu estudo

conferência de berlim

conimbriga

descoberta da américa

diogo cão

dom pedro i

e portugal fez-se ao mar...

escravatura

fortaleza de jesus de mombaça

fundação batalha de aljubarrota

grandes navegações

guerra colonial

guerra fria

história da grécia antiga

história de amor de d. pedro e d. inês

história em imagens

humberto delgado

idade média

império colonial português

joão gonçalves zarco

lisboa 1756

mapa da crise económica na europa

marcello caetano

martin luther king

moedas gregas (ima)

monstros marinhos

monumentos portugueses

museu das descobertas em belmonte

nau

o grito do ipiranga

o tratado de alcanizes

o tratado de methuen

olhar quem fomos

onde estáo elo perdido?

os pais de cabral

partidos de direita... partidos de esque

pirata ou corsário?

planta do castelo de guimarães

presidentes após 25 abril

quénia

rei luís xiv

reino de espanha (1850)

reis da primeira dinastia

reis da segunda dinastia _ de avis

reis de portugal e o local onde estão se

revolução francesa

revolução industrial

revolução russa

segunda guerra mundial

sidónio pais

sons do 25 de abril

terramoto de 1755

terramoto de lisboa de 1755

testes

tratado de tordesilhas

vários assuntos

vasco da gama

vestuário na idade média

todas as tags

arquivos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO
RSS