encontra aqui um pouco de tudo...desde a a gastronomia medieval á revolução russa...
Por ana | Domingo, 31 Maio , 2009, 14:17

 

VESTUÁRIO NA IDADE MÉDIA
A Idade Média começou com a queda do Império Romano do Ocidente, no fim do século V, e durou até o século XV. Durante a Idade Média, a Europa ocidental se desenvolveu independentemente do chamado Império Romano do Oriente, ou Bizantino.
O Império Bizantino: as classes dominante vestiam túnicas e mantos enfeitados. Alguns tecidos eram feitos com fios de ouro e certas roupas eram enfeitadas com pedras preciosas e pérolas. Os pobres vestiam túnicas simples e blusas.
A Europa Ocidental: no início da Idade Média, os celtas da Galiléia e da Bretanha adotaram a túnica romana. Depois, a moda bizantina começou a influir cada vez mais no vestuário da Europa ocidental. As classes dominantes começaram a usar roupas mais ornamentadas.
No início as roupas eram feiras em casa. As famílias criavam ovelhas e cultivavam o linho. Quando as cidades começaram a crescer, surgiram lojas especializadas, dirigidas por tecelões, alfaiates, remendões e outros artesões que faziam roupas.
No século XII, esses artesões se organizaram em corporações chamadas guildas.
Mais tarde, as túnicas soltas começaram a ser substituídas por roupas ajustadas ao corpo. As mulheres começaram a usar vestidos compridos, e justos no busto. Os homens vestiam calções soltos debaixo da túnica, além de vários tipos de coberturas para as pernas. Nos séculos XII e XIII, as mulheres punham redes nos cabelos, usavam véus e panos para cobrir o pescoço, como algumas ordens de religiosas usam até hoje. Os homens usavam na cabeça capuzes com pontas compridas. Tanto homens quanto mulheres vestiam uma sobreveste copiada dos trajes dos cruzados.

Durante o século XIV, as roupas das classes dominantes ganharam muitos enfeites e acessórios, como botões e cintos ornamentados com pedrarias. Os tecidos variavam de acordo com a classe social. Os muito ricos vestiam seda e enfeitavam suas roupas com peles valiosas. A maioria das pessoas vestiam roupas de lã e linho. Já as pessoas mais humildes vestiam-se com roupas feitas de pele de cabra carneiro ou lobo.

 
VESTUÁRIO NOS SÉCULOS XIV e XVI
O renascimento começou na Itália por volta do século XIV e se espalhou pela Europa durante os séculos XV e XVI. As cidades se desenvolveram e enriqueceram. O número de artesões e comerciantes aumentou rapidamente. Houve a queda do Império Bizantino, e a Europa ocidental passou à liderança da moda.
O vestuário foi-se complicando cada vez mais. As mulheres usavam chapéus cônicos e altos chamados hennins. Alguns tinham véu.
Os homens usavam meias compridas que se foram transformando em calças justas. Usavam muitos tipos de chapéus, inclusive um turbante drapeado chamado chaperon. Também calçavam sapatos pontudos chamados poulaines. Em alguns, as pontas tinham mais de 15cm.
No início do século XVI, os homens vestiam-se com muitas roupas sobrepostas, algumas delas com um enchimento pesado. Usavam camisas de linho, sobre as quais vestiam um casaco justo chamado gibão. Sobre o gibão usavam uma jaqueta, prolongada em uma saia que descia até o quadril. Uma capa sobre o joelho, com mangas largas, vinha sobre a jaqueta. Os homens também usavam calções curtos e brifantes, costurados a meias justas.
As roupas femininas eram cortadas e costuradas para ficarem justas acima da cintura. Durante a primeira metade do século XVI, as mulheres usaram vestidos com decotes quadrados e baixos, e saias rodadas sobre anáguas. Os trajes masculinos e femininos tinham fendas para mostrar a vestimenta de baixo.
No fim do século XVI, a moda formal e rígida da Espanha se espalhou pela Europa. Os homens vestiam calções justos até os joelhos. O gibão modificou-se, ganhando uma saliência em ponta sobre o ventre. As saias rodadas das mulheres eram armadas com crinolinas rígidas. Algumas crinolinas tinham armações de madeira, arame ou barbana. Homens e mulheres usavam golas de pregas engomadas chamadas rufos.
VESTUÁRIO NO SÉCULO XVII
A França assumiu a liderança da moda. Os homens substituíram seus gibões por coletes, usados sob casacos que desciam até os joelhos. A moda dos calções variou - eram ora largos, ora justos até os joelhos.
As mulheres começaram a usar anáguas no lugar das crinolinas, e também mangas três-quartos. Essa última transformação desnudava pela primeira vez o braço das mulheres, desde a queda do Império Romano, mais de mil anos antes. As mulheres também passaram a usar na cabeça um enfeite alto chamado fontange.
Os homens geralmente calçavam botas. Os chapéus eram vistosos e enfeitados com plumas, usados sobre cabelos compridos. Homens e mulheres calçavam sapatos de salto alto. Peitilhos de renda e linho substituíram os rufos engomados. No fim do século os peitilhos deram lugar a gravatas de renda, de laço frouxo, chamadas jabôs. As cabeças dos homens forma cobertas por enormes perucas encaracoladas, que se tornaram moda depois de 1660.
VESTUÁRIO NO SÉCULO XVII
Os últimos vinte anos do século XVII anteciparam o que seria a moda do século seguinte, domando pelo grande prestígio da corte de Versalhes. Na indumentária masculina, a peruca teve grande importância até a revolução francesa. Havia vários tipos delas, entre as quais a dos soldados, leve e presa com laços na nuca. Ao longo do século, esse adorno foi reduzido até ficar limitado a alguns encaracolados do lado do rosto e a uma trança.
Com Luís XV, os trajes femininos tornaram-se mais soltos e vaporosos; os vestidos tinham pregas nas costa que caíam até o chão. O merinaque foi utilizado para dar volume ao traje feminino, cuja forma variava consideravelmente. Os componentes básicos eram corpetes e saias, eventualmente abertas na parte dianteira, deixando entrever as anáguas, ricamente decoradas. O corpete podia também ser aberto, mostrando uma peça de tecido bordada, com laços e rendas. As mangas chegavam até o cotovelo, muitas vezes arrematadas com enfeites.
O traje masculino conservou por várias décadas a estrutura do século anterior. A casaca tornou-se mais comprida e com mais aberturas e as mangas se estreitaram. Sob a casaca, vestia-se um colete bordado, confeccionado em tecido diferente. Os calções chegavam até os joelhos e o traje se completava com um chapéu de três bicos. A influência britânica trouxe um tipo de traje masculino mais leve e informal. A simplificação do vestuário evidenciou o gosto neoclássico.
VESTUÁRIO NO SÉCULO XIX
Os complicados penteados, as perucas empoadas e os chapéus da época de Luís XVI e de Maria Antonieta foram abolidos com a revolução francesa. A burguesia impôs sua moda. Os homens adotaram o estilo dos trajes de campo ingleses - com chapéu alto, lenço no pescoço jaqueta com lapelas, colete, calções e botas - e eliminaram as casacas bordadas, as rendas e as meias, a partir de então restritas aos chamados incoyables franceses da década de 1790, iniciadores do estilo romântico. As mulheres buscaram a leveza em vestidos de cintura muito alta, que caíam retos até os pés. Esse estilo foi chamado "império".
Nos primeiros anos do século XIX, surgiram publicações impressas ilustradas com vestuário. A expedição de Napoleão ao Egito trouxe nova moda orientalista para a França, enquanto o Reino Unido, principal rival dos franceses, procurava a máxima diferenciação de costumes. Ao restabelecerem-se as relações amistosas entre os dois países, as mulheres britânicas adoraram a moda francesa e por sua vez, os homens franceses se decidiram pelo estilo britânico, em geral muito bem acabado, devido à alta qualidade do trabalho dos alfaiates do Reino Unido. Os dândis ingleses inspiraram a moda européia, com um vestuário bem cortado, ajustado ao corpo. O traje feminino exigia o uso de espartilho para afinar a cintura, com saias e mangas muito largas. As mulheres cobriam a cabeça com toucas ou capotas amarradas com laços, e levavam uma pequena bolsa e um guarda-sol.
A partir de 1837, as rodas exageradas das saias se reduziram e o traje masculino eliminou os excessos a que havia chagado o modelo dândi. O fraque tornou-se muito usado, assim como o redingote ou o casaco, mais curto. As camisas tornaram-se mais lisas, e as gravatas, mais finas. Popularizaram-se a calça, o chapéu de copa e grande variedade de casacos (chesterfield, paletó). A roupa masculina, mais sóbria e menos colorida, começava a tomar a forma que conserva até a atualidade.
Em meados de século. O traje feminino aumentou de volume graças a inúmeras anáguas que, por seu peso, dificultava a movimentação. Data dessa época a invenção da crinolina, armação à base de anéis metálicos flexíveis que substituía com vantagem as anáguas. A crinolina logo deslocou-se para trás e se tornou mais leve, o que deu origem a um levantamento na parte traseira da roupa por meio das anguinhas, que mais tarde desapareciam, substituídas por um simples pregueado de tecido e uma calça longa.
Os esportes também exerceram influência sobre o desenho das roupas, que se adaptaram às necessidades de cada modalidade. Assim, os trajes para andar de bicicleta, para o tênis ou para o banho inspiraram a moda quotidiana para homens e mulheres.
Marília Nascimento Espíndola, Maio de 1999
trabalho orientado pela professora Miriam Jaqueline
Instituo Educacional CVE
daqui
Assuntos tratados no blog:

Este Blog dedica-se à postagem de fotos,artigos e videos que circulam livremente na internet. Qualquer anomalia ou problema de funcionamento e/ou copyright não é da responsabilidade deste Blog, dado que o mesmo se baseia em hiperligações ou links. Eventuais reclamações e outras solicitações deverão ser feitas unica e exclusivamente nas respectivas fontes de origem. Ana Márcia
mais sobre mim
Assuntos tratados no blog

10 de junho da presidência da república

25 de abril

a batalha de aljubarrota

a construção das pirâmides do egipto

a corte portuguesa no brasil

a declaração de guerra da alemanha a por

a dinastia afonsina ou de borgonha

a gastronomia medieval

a morte de d. sebastião

a primeira guerra mundial

a viagem de marco polo

absolutismo

as moedas de d. afonso henriques

bandeira da união europeia

bandeira de portugal

brasil

bula manifestis probatum (doc)

bússola

cabo verde

cadeira acústica

caravela

carta a el-rei d. manuel sobre o achamen

cidade velha de santiago

conceito de história e seu estudo

conferência de berlim

conimbriga

descoberta da américa

diogo cão

dom pedro i

e portugal fez-se ao mar...

escravatura

fortaleza de jesus de mombaça

fundação batalha de aljubarrota

grandes navegações

guerra colonial

guerra fria

história da grécia antiga

história de amor de d. pedro e d. inês

história em imagens

humberto delgado

idade média

império colonial português

joão gonçalves zarco

lisboa 1756

mapa da crise económica na europa

marcello caetano

martin luther king

moedas gregas (ima)

monstros marinhos

monumentos portugueses

museu das descobertas em belmonte

nau

o grito do ipiranga

o tratado de alcanizes

o tratado de methuen

olhar quem fomos

onde estáo elo perdido?

os pais de cabral

partidos de direita... partidos de esque

pirata ou corsário?

planta do castelo de guimarães

presidentes após 25 abril

quénia

rei luís xiv

reino de espanha (1850)

reis da primeira dinastia

reis da segunda dinastia _ de avis

reis de portugal e o local onde estão se

revolução francesa

revolução industrial

revolução russa

segunda guerra mundial

sidónio pais

sons do 25 de abril

terramoto de 1755

terramoto de lisboa de 1755

testes

tratado de tordesilhas

vários assuntos

vasco da gama

vestuário na idade média

todas as tags

arquivos
pesquisar neste blog
 

  

ESCREVE-ME

POR MAIL...

 

OU ENTÃO

Deixa recadinho...

clica na caixa em cima

 
        Mais  Disciplinas que fiz

   

 

 

 

 


 


 

Mussolini

 
1919 – Mussolini funda o Partido Fascista Italiano.

 

Angola

 
1976 - Portugal reconheceu a República Popular de Angola.

Contra-reforma Educativa

 
1928 - Em Portugal, no âmbito da contra-reforma educativa foi determinada a aplicação da separação de sexos nas escolas.
«A escola como um dispositivo de sexualidade» é um capítulo de uma tese extremamente interessante para quem quiser aprofundar os seus conhecimentos nesta área.
Índice da tese

 

 

Abraham Lincoln

 
1809 – N. Abraham Lincoln, no Kentucky, décimo sexto presidente dos EUA.
Para saber mais sobre a sua época.

 

 

HITLER OCUPA CHECOSLOVÁQUIA

1939 - As tropas de Hitler ocupam a Checoslováquia (Boémia e Morávia).

 

 

MARCELO CAETANO DEMITE GENERAIS

[1974 - O primeiro-ministro Marcelo Caetano demite os generais António de Spínola e Costa Gomes dos cargos de chefe e vice-chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas.
 

 

JOÃO DE CANTO E CASTRO

1934- M. em Lisboa, o contra-almirante João de Canto e Castro que fora presidente da República.

 

 

AUSTRIA
1938 – A Áustria é declarada como parte do Reich Alemão (a Anschluss).

 

UNITA 1965 - Em Angola, foi fundada a UNITA.

 

SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

1938– Tropas alemãs entram na Áustria.

 

 

URSS
1950 - A URSS anunciou possuir a bomba atómica.

 

Segunda Guerra Mundial

 
1941 – No âmbito da Segunda Guerra Mundial, a Alemanha ocupa a Bulgária.
Para saber mais...

 

Pina Manique

 

1805 - M.o Intendente Pina Manique, fundador da Casa Pia de Lisboa.
Casa Pia Atlético Clube

 

Censura

 

1926 - Após o 28 de Maio, os jornais inserem pela primeira vez a frase: «Este número foi visado pela Comissão de Censura».
Os livros e a censura em Portugal

 

 

Segregação racial

 
1964 - É aprovada a lei dos direitos civis (Civil Rights Act), que põe termo à segregação racial nos EUA.
Em Portugal
SOS Racismo
Blog SOS Racismo

 

Che Guevara

 
1928 - N. na cidade de Rosário, Argentina, Che Guevara, guerrilheiro marxista, cuja acção, desde 1954 até à sua morte em combate, em 1967 na Bolívia, se tornou lendária.
CONGO: O SONHO AFRICANO
Para saber mais...

 

Colónias portuguesas

 

1951 - As colónias portuguesas passam a designar-se por províncias ultramarinas.
Para saber mais...

 

 

Humberto Delgado

 

1958 - Humberto Delgado disputa a Presidência da República Portuguesa.

 

Tratado de Badajoz

 
1801 - Portugal e Espanha assinam o Tratado de Badajoz, que finaliza a chamada «Guerra das laranjas», no que resulta o ingresso na Espanha da cidade portuguesa de Olivença.
Saber mais

 

 

Robert Kennedy

 
1968- Robert Kennedy, senador dos EUA,irmão de J.F. Kennedy, é atingido a tiro e morre 25 horas depois.
Biografia

 

Franco

 

1974 O general Franco, hospitalizado, transmite o poder a Juan Carlos I.
Autobiografia do general Franco

 

 

Guerra Civil Espanhola

 
1936 - Uma revolta liderada por Emílio Mola e Francisco Franco dá início à Guerra Civil Espanhola.  
Saber mais... 
Portugal e a Guerra Civil de Espanha de Fernando Rosas.

 

 

Conferência de Potsdam

 
1945 – Reúne-se a Conferência de Potsdam (que termina a 2 de Agosto), para decidir a ocupação da Alemanha. 

 

 

Getúlio Vargas

 
1934 - No Brasil, Getúlio Vargas é eleito Presidente da República. 

 

 

Independência do Brasil

 

1825 - Portugal reconhece a independência do Brasil.
Hino da Independência

 

 

Sufrágio Feminino

 

1920 - Nos Estados Unidos, as mulheres passaram a ter direito de voto, com o estabelecimento da 19ª emenda à Constituição.
Cronologia

 

Libertação de Paris

 
1945 - Os Aliados libertam Paris.

 

 

 

General De Gaulle

 

1944 - O General De Gaulle e os Aliados entram em Paris.

 

 

Manuel de Arriaga

 

1911 - Em Portugal, Manuel de Arriaga tomou posse como primeiro Presidente Constitucional.

 

 

Blitz de Londres

 

1940 - Em Londres, os bombardeamentos alemães dão início à Blitz.
Vídeo

 

 

 

 

 

 


 
 
 
"Quanto mais simples é a pessoa, mais ela sobe no meu conceito"
Herik Zednik

"Não conheço nenhum país, cidade ou município no mundo que tenha se desenvolvido sem ter investido seriamente em educação"
Herik Zednik

"Não importa quanto dinheiro tenha, quantos cargos ocupe, quanta fama possua ou poder detenha, a essência precisa ter dignidade, honestidade, generosidade e também muita humildade."
Herik Zednik

"Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho.." Clarice Lispector

"A educação só produz resultados em sociedades em que as pessoas podem fazer escolhas pessoais e econômicas, dando-lhes a oportunidade de serem criadoras e descobridoras." (Odemiro Fonseca em "Benefícios da liberdade")

"Educação serve pouco se as pessoas não forem livres. É só lembrar o que aconteceu nos países socialistas, onde a educação era considerada de qualidade."

"o discurso da impossibilidade da mudança para a melhora do mundo não é o discurso da constatação da impossibilidade, mas o discurso ideológico da inviabilização do possível" Paulo Freire

"A mente que se abre a uma nova idéia nunca voltará ao seu tamanho original." Albert Einstein

    jogos

 

blogs SAPO
RSS